Museu Casa Guimarães Rosa

Código: 1.91.27.6807

Nº SNIIC: SP-6644

O Museu Casa Guimarães Rosa está instalado na casa onde o escritor João Guimarães Rosa nasceu e passou seus primeiros nove anos de vida (1908 a 1917).

Email para divulgação: museuguimaraesrosa@secult.mg.gov.br

Telefone para divulgação: (31) 3715-1425

Informações Adicionais de Contato:
(31) 3715-1425

Endereço: Avenida Pe. João 744, Centro, 35780-000, Cordisburgo, MG

CEP: 35780-000

Logradouro: Avenida Pe. João

Número: 744

Complemento:

Bairro: Centro

Município: Cordisburgo

Estado: MG

Território Cultural (para utilização do Sistema de Museus): Metropolitano

Descrição

O Museu Casa Guimarães Rosa foi inaugurado em 30 de março de 1974, na casa onde o escritor passou os primeiros anos de sua infância (1908 a 1917). Construída em fins do século XIX a casa é tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico – IEPHA/MG. O Museu é administrado pela SUMAV - Superintendência de Museus e Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais. Em 1982, a edificação passou por nova restauração onde foi reconstituída a Venda de Secos e Molhados do Sr. Florduardo, mais conhecido como venda do “seu Fulô”, pai do escritor. Em 2012 foi inaugurada nova Exposição Permanente “Rosa dos Tempos, Rosa dos Ventos”, com curadoria de Leonardo José Magalhães Gomes, museografia de Flávio Vignoli e patrocinada pela Petrobras através do Ministério da Cultura via Associação dos Amigos do Museu Casa Guimarães Rosa. Trata-se de evidenciar, por meio de uma nova exposição, a inserção do Museu num Território, que é entendido como cenário e ambiente de experiências vividas e recriadas na produção literária de Guimarães Rosa. O Museu, a maneira de um portal, apresenta ao visitante as inúmeras possibilidades de se mergulhar na paisagem do cerrado e na cultura do sertão mineiro, perenizados na obra do escritor.
O acervo do Museu é composto por objetos de uso pessoal, doméstico e profissional de Guimarães Rosa, um conjunto de fotografias, edições nacionais e estrangeiras de obras e documentação textual – originais manuscritos e datilografados, com destaque para os originais do último livro do escritor, Tutaméia, e para a correspondência que manteve com seu pai e também com seu amigo, Pedro Barbosa.
Concebido com a missão de preservar, pesquisar e difundir a obra de Guimarães Rosa, o Museu, hoje, desenvolve projetos com vista a ampliar seus limites de atuação, que se fundam na comunidade e no conjunto de bens culturais e naturais de Cordisburgo e regiões vizinhas. Anualmente, o Museu recebe cerca de 30 mil visitantes.

João Guimarães Rosa

Nasceu em Cordisburgo/MG em 27 de junho 1908. Em 1917, mudou-se para Belo Horizonte. Em 1925 ingressou na Faculdade de Medicina, formando-se em 1930. Exerceu a medicina em Itaguara/MG (de 1931-32) e Barbacena/MG (1933). Tornou-se diplomata em 1934, atuando como Cônsul Adjunto em Hamburgo/ Alemanha (1938-42); secretário da embaixada em Bogotá/Colômbia (1942-44) e conselheiro da embaixada de Paris/França (1948-51). Em 1936, foi premiado pela Academia Brasileira de Letras por sua coletânea de poemas, publicado, posteriormente, no livro Magma, em 1997. Em 1937, recebeu o prêmio Humberto de Campos pelo conjunto de contos que foram reunidos no Livro Sagarana publicado em 1946. Esta obra recebeu o prêmio Felipe d’Oliveira, em 1946. Em 1952, viajou pelo Sertão de Minas Gerais, experiência que marcou parte de sua obra. Em 1956, escreveu seu único romance, Grande Sertão:Veredas, que recebeu os prêmios Machado de Assis, do Instituto Nacional do Livro e o prêmio Carmem Dolores Barbosa; em 1957 recebe o prêmio Paula Brito. Em 1961 recebeu novamente o prêmio Machado de Assis pelo conjunto de sua obra. Em 1963 o livro Primeiras Estórias recebe o prêmio PEN Clube do Brasil. Faleceu no Rio de Janeiro no dia 19 de novembro de 1967, três dias após tomar posse na Academia Brasileira de Letras. A obra de Guimarães Rosa já foi traduzida para diversos idiomas - francês, inglês, italiano, alemão, espanhol e ganhou importantes adaptações no cinema, teatro, televisão, dança e música.

João Guimarães Rosa| Obras

1936 – Magma (poemas; publicado em 1997)
1946 – Sagarana (contos)
1947 – Com o Vaqueiro Mariano (conto)
1956 – Corpo de Baile (atualmente publicado em três partes: Manuelzão e Miguilim,
Noites do Sertão e No Urubuquaquá do Pinhém)
1956 - Grande Sertão: Veredas (romance)
1962 - Primeiras Estórias (contos)
1967 – Tutaméia – Terceiras Estórias (contos)
1969 – Essas Estórias (contos) | publicação póstuma.
1970 – Ave, Palavra (contos) | publicação póstuma.

Ações culturais e educativas

O Museu desenvolve várias atividades culturais e educativas as quais envolvem distintos atores e públicos, em especial os moradores de Cordisburgo e arredores. Pela extensão e permanência de suas ações, o Museu desempenha papel de destaque na dinâmica cultural do Circuito Guimarães Rosa, integrado pelos municípios de Araçai, Curvelo, Inimutaba, Presidente Juscelino, Corinto, Morro da Garça, Felixlândia, Lassance, Várzea da Palma, Três Marias / Andrequicé, Pirapora e Buritizeiro, região que foi percorrida por Rosa, na viagem realizada em 1952.
A Semana Rosiana, que acontece a 30 anos no mês julho, oferece uma grade diversificada de oficinas – de literatura, botânica, gravura, desenho, artesanato, além de apresentações teatrais, de música e dança; mesas-redondas, palestras e caminhada eco-literária, sempre focadas no escritor e sua obra.
Instituído em 1997, o Grupo de Contadores de Estórias Miguilim é um dos principais projetos do Museu, voltado para a formação de adolescentes de Cordisburgo. Vetores de difusão da vida e obra de Guimarães Rosa, os Miguilins recebem o público no Museu onde narram trechos de toda produção literária de Rosa. Eles também fazem apresentações em espaços culturais em Minas Gerais e de outros Estados do Brasil.

Informações:

Museu Casa Guimarães Rosa

Rua Padre João, 744
Cordisburgo MG 35780-000
Tel: (31) 3715-1425
museuguimaraesrosa@secult.mg.gov.br
www.culturra.mg.gov.br
facebook.com/casaguimaraesrosa
Instagram: @museuguimarãesrosa

Funcionamento:
Atualmente o Museu se encontra fechado devido à Pandemia do Covid19

** O Museu fica fechado no carnaval, natal e réveillon

Visitas monitoradas devem ser previamente agendadas
Telefone (31) 3715-1425

Distância
Belo Horizonte – Cordisburgo: 130 Km

Linha de ônibus
Viação Setelagoano | www.setelagoano.com.br
Tel:. (31) 3376-3693 (Sete Lagoas) e (31) 3073-7575 (BH)

Vídeos

Galeria

evento entre e Baixar Planilha

O Museu encontra-se: aberto

Horário de funcionamento: Funcionamento: Aberto todos os dias das 9h às 17h ** O Museu fica fechado no carnaval, natal e réveillon Visitas monitoradas devem ser previamente agendadas Telefone (31) 3715-1425 Distância Belo Horizonte – Cordisburgo: 130 Km

Entrada

Entrada é cobrada: não

Acessibilidade

Acessibilidade física:

Acessibilidade para pessoas com deficiências auditivas e visuais:

Atendimento aos turistas estrangeiros:

Instalações

Instalações básicas e serviços oferecidos:

O museu possui arquivo histórico? não

O arquivo tem acesso ao público? não

O Museu possui biblioteca? não

A biblioteca tem acesso ao público? não

O museu promove visitas guiadas? sim

Atividades educativas e culturais

O museu realiza atividades educativas e culturais para públicos específicos? s

Em caso positivo, especifique: escolha a(s) que mais se adeque(m)

Esfera: Pública

Tipo de Esfera: Estadual

Ano de abertura: 1974

Instrumento de criação:

Descrição:

Tipo: Tradicional/Clássico

O museu é de caráter comunitário? não

Temática: História

Para solicitar o Registro de Museus é simples. Basta seguir estes três passos:

  • 1. Preencher e assinar o Formulário de Solicitação de Registro, ao final da página.
  • 2. Fotocopiar os documentos solicitados (vide lista abaixo de acordo com a natureza administrativa da instituição).
  • 3. Reunir o Formulário devidamente preenchido e a documentação solicitada e entregar a documentação na sede do Ibram em Brasília ou enviar por correio com aviso de recebimento para o seguinte endereço:


    Instituto Brasileiro de Museus – Ibram
    Cadastro Nacional de Museus (CNM)
    Setor Bancário Norte, Quadra 02, Bloco N, 1º Subsolo
    Cep: 70040-020 – Brasília – DF

Documentação Necessária:
Museu Público Federal
  • CPF e RG (autenticados em cartório) do responsável pelo museu;
  • Documentação que comprove que o titular do RG e do CPF enviados é o responsável pelo museu, que poderá ser através de termo de posse, ato de nomeação, ou outro documento congênere;
  • CNPJ do museu ou da instituição mantenedora;
  • Instrumento de criação do museu ou outro documento oficial da instituição à qual o museu esteja subordinado/vinculado;
  • Termo de Solicitação do Registro preenchido.
Museu Público Estadual, Municipal e Distrital
  • CPF e RG (autenticados em cartório) do responsável pelo museu;
  • Documentação que comprove que o titular do RG e do CPF enviados é o responsável pelo museu, que poderá ser através de termo de posse, ato de nomeação, ou outro documento congênere;
  • CNPJ do museu ou da instituição mantenedora;
  • Instrumento de criação do museu ou outro documento oficial da instituição à qual o museu esteja subordinado/vinculado;
  • Termo de Solicitação do Registro preenchido.
Museu Privado
  • CPF e RG (autenticados em cartório) do responsável pelo museu;
  • Documentação que comprove que o titular do RG e CPF enviados é o responsável pelo museu, que poderá ser através de termo de posse, ato de nomeação, ou outro documento congênere;
  • CNPJ do museu ou da instituição mantenedora (com personalidade jurídica);
  • Instrumento de criação do museu ou outro documento oficial da instituição à qual o museu esteja subordinado/vinculado;
  • Termo de Solicitação do Registro preenchido.
ATENÇÃO!
  • As despesas de autenticação e envio deverão correr por conta do museu solicitante;
  • O museu deverá manter atualizados todos os seus dados junto ao Registro de Museus, enviando toda a documentação comprobatória de qualquer alteração das informações já fornecidas;
  • No caso de inexistência de documento oficial que declare quem é o responsável pelo museu, será admitido como comprovação documento que contenha tal informação assinado pelo representante máximo da instituição mantenedora. Nessa situação, o representante máximo da instituição mantenedora deverá enviar cópia do seu RG, do CPF (autenticados em cartório) e documento oficial que declare sua ocupação neste cargo;
  • Museus que possuem filiais ou seccionais em endereços de visitação diferentes deverão responder um questionário para cada unidade.

Publicado por

Ronaldo Oliveira

Ronaldo Alves de Oliveira, graduado em História e Pedagogia. Coordenador do Museu Casa Guimarães Rosa na cidade de Cordisburgo MG.