Museu Paranaense

Código: 6.93.23.6574

Nº SNIIC: SP-202186

O Museu Paranaense é uma instituição museológica do Governo do Estado do Paraná que conserva, guarda, pesquisa e promove exposições de caráter pedagógico a partir de seu acervo museológico, garantindo o acesso da comunidade ao seu patrimônio cultural. Seu foco desdobra-se em Antropologia, Arqueologia e História do Paraná.

Site: http://www.museuparanaense.pr.gov.br

Email para divulgação: museupr@seec.pr.gov.br

Telefone para divulgação: (41) 3304-3300

Endereço: Rua Kellers, 289 , São Francisco, 80410100, Curitiba, PR

CEP: 80410100

Logradouro: Rua Kellers

Número: 289

Complemento:

Bairro: São Francisco

Município: Curitiba

Estado: PR

Território Cultural (para utilização do Sistema de Museus):

Descrição

Idealizado por Agostinho Ermelino de Leão e José Candido Murici, o Museu Paranaense foi inaugurado no dia 25 de setembro de 1876, no Largo da Fonte, hoje Praça Zacarias, em Curitiba. Com um acervo de 600 peças, entre objetos, artefatos indígenas, moedas, pedras, insetos, pássaros e borboletas, era então, o primeiro no Paraná e o terceiro no Brasil.

Em 1882, de particular transformou-se em órgão oficial de governo. A partir daí, passou a receber contínuas doações. Deixa de ser um simples depósito para ser um centro de instrução e pesquisa, propiciando a vinda de “missões científicas” para o Paraná.

Foi dirigido por grandes nomes da sociedade paranaense, entre eles Agostinho Ermelino de Leão, Romário Martins e Loureiro Fernandes.

Desde a sua inauguração o Museu Paranaense ocupou seis sedes, até fixar-se na atual, o Palácio São Francisco.

Atualmente o Museu Paranaense desenvolve estudos nas áreas da Arqueologia, Antropologia e História.

Sua nova sede está estruturada para a realização de projetos e atividades culturais, atingindo os diversos segmentos sociais. Possui laboratórios, biblioteca, auditório, além de salas de exposições permanentes e exposições temporárias.

Destaque para o Pavilhão da História do Paraná que faz a “linha do tempo” desde a pré-história, 8000 anos antes da época atual, até o início do século XX, com a integração dos imigrantes ao nosso Estado.

A importância do acervo

ceramicaO Museu Paranaense possui hoje um acervo de aproximadamente 400 mil itens, entre objetos de uso pessoal, mobiliário, armas, uniformes, indumentárias, documentos, mapas, fotos, filmes, discos, máquinas, equipamentos de diversas espécies, moedas, medalhas, porcelanas, pinturas em diversas técnicas e esculturas, além de grande acervo arqueológico (lítico, cerâmico e biológico), antropológico (cestaria, plumária, armas, adornos e cerâmicas indígenas), retratos a óleo da antiga Pinacoteca do Estado.

Entre 1979 e 2005 recebeu três grandes acervos.

acervo museu paranaenseO primeiro foi o acervo de Vladimir Kozák, naturalista tcheco, que viveu em Curitiba entre 1928 e 1979. Nele encontramos pinturas, desenhos, aquarelas, fotografias, filmes e documentos que retratam os índios do Paraná e do Brasil, além de todos os objetos de uso pessoal dele, uma vez que o Museu Paranaense é o responsável pela herança jacente de Kozak.

armariaO segundo acervo veio do Banco do Estado do Paraná. Após a privatização do Banestado, seu museu foi desativado. São documentos, óleo sobre tela, objetos, fotos, livros e uma coleção de moedas, cédulas e medalhas, os quais foram transferidos para o Museu Paranaense.

E o terceiro acervo adquirido em 2004 pelo Governo do Paraná pertencente ao extinto Museu Coronel David Carneiro, com mais de 5.000 itens, entre peças de mobiliário, obras de arte, livros, documentos, numismática, ferramentas, utensílios, porcelanas, indumentária e armaria, com ênfase na história dos conflitos militares ocorridos no Paraná.

* * *

O acervo do Museu Paranaense é mostrado ao público, em exposições abertas e gratuitas, nas salas de exposições temporárias e de longa duração. Atualmente todos estes materiais estão sob a guarda do setor de museologia, sendo que cada setor técnico interage com as peças de sua área de atenção específica. Então, o acervo, de acordo com seus setores técnicos, está assim constituído:

Setor de Antropologia: realiza estudos sobre a História da Antropologia, Etnologia Indígena, Cultura Popular e Afrobrasileira. Atualmente o setor está voltado para a pesquisa sobre a identidade paranaense, nos aspectos relacionados à cultura popular, etnologia indígena e cultura afro-brasileira. Nesta área o acervo conta com 2.500 peças e o Setor de Antropologia é o responsável pela pesquisa do acervo Kozak. Os resultados destes estudos subsidiam a produção de artigos especializados e têm sido tema de exposições, seminários de pesquisas e publicação de artigos científicos.

Setor de Arqueologia: é responsável por um acervo de cerca 270 mil peças, na maioria cerâmicas e artefatos líticos, além 13 mil ossos humanos, dentre eles vestígios de sambaquis do litoral paranaense, recuperados entre 1960 e 1975, outros materiais conchíferos, paleontológicos e orgânicos provenientes do território paranaense. Atualmente o setor realiza pesquisas buscando a reconstrução da pré-história paranaense e o mapeamento do patrimônio arqueológico do Paraná. O Museu Paranaense possui dois dos seis acervos arqueológicos atualmente tombados pelo Patrimônio Histórico Brasileiro: o do próprio MP e o do antigo Museu David Carneiro, incorporado pelo MP.

Setor de História: desenvolve pesquisas, assessoria técnica, atendimento à educação formal e informal e montagem de exposições, visando à valorização e a difusão da História do Paraná. O acervo sob a responsabilidade do setor histórico é o mais variado, compondo-se de documentos, inclusive muitos manuscritos, fotografias, móveis, armas, uniformes, vestuário e acessórios, quadros, esculturas, ferramentas, porcelana, objetos de uso cotidiano, além de extensa coleção de moedas e medalhas. É o responsável pela maior parte do acervo David Carneiro e Banestado.

Além destes acervos, a Biblioteca Romário Martins é a responsável pela guarda e manutenção de aproximadamente 10 mil exemplares, entre livros e periódicos, além de grande coleção de obras raras sobre a história do Paraná e em cima das áreas de atuação do Museu Paranaense.


Palácio São Francisco

Palácio São Francisco - sede do Museu Paranaense Prédio construído no Alto São Francisco, em Curitiba, por Julio Garmatter, para ser residência de sua família. É uma construção eclética, executada entre 1928 e 1929, pelo engenheiro Eduardo Fernando Chaves.

Em 1938, o então Interventor do Paraná, Manoel Ribas, adquiriu a propriedade para instalar a sede do Governo Estadual, passando a ser conhecido como Palácio São Francisco, em concordância com sua localidade. O governo permaneceu no prédio até 1953, quando o executivo ganhou sede no Centro Cívico, hoje Palácio Iguaçu.

O Palácio São Francisco serviu aos interventores Manoel Ribas, Clotário Portugal, Brasil Pinheiro Machado, João Candido Ferreira Filho, Coronel Mario Gomes da Silva, Antonio de Carvalho Chaves e aos governadores Moysés Lupion e Bento Munhoz da Rocha Neto.

Em 1961, o prédio serviu ao Tribunal Regional Eleitoral, o qual visando ampliar as instalações construiu um bloco anexo à fachada lateral da face leste. Em fins de 1986, foi parcialmente restaurado. No ano de 1987, o prédio original foi tombado e nesta data passou a abrigar o acervo do Museu de Arte do Paraná, hoje extinto.

Em meados de 2002, iniciou-se a restauração do prédio do Palácio São Francisco, a reforma do anexo 1 e a construção do anexo 2 com acesso pela rua Ermelino de Leão, com o objetivo de abrigar a sétima sede do Museu Paranaense, cuja inauguração se deu em 19 de dezembro de 2002. Porém, sem estar concluído, passou por um período de término das obras e revitalização de seus espaços internos, reabrindo ao público em 4 de junho de 2003.

Vídeos

Galeria

PARABÉNS! O FVA 2018 deste Museu já foi preenchido.

O Ibram agradece a contribuição no levantamento de informações sobre o campo museal.

Em caso de dúvidas, alteração de informações ou se você é o(a) responsável pelo museu e quer responder novamente, entre em contato conosco pelo email cpai@museus.gov.br ou pelos telefones (61) 3521-4410, (61) 3521-4291, (61) 3521-4330, (61) 3521-4329, (61) 3521-4292
evento entre e Baixar Planilha

O Museu encontra-se: aberto

Horário de funcionamento: De terça a sexta-feira das 9h às 18h. Sábado, domingo e feriado das 10h às 16h.

Entrada

Entrada é cobrada: não

Acessibilidade

Acessibilidade física:

Acessibilidade para pessoas com deficiências auditivas e visuais:

Atendimento aos turistas estrangeiros:

Instalações

Instalações básicas e serviços oferecidos:

Capacidade do teatro/auditório (assentos): 90

O museu possui arquivo histórico? sim

O arquivo tem acesso ao público? sim

O Museu possui biblioteca? sim

A biblioteca tem acesso ao público? sim

O museu promove visitas guiadas? sim

Em caso positivo, especifique: SOMENTE mediante agendamento

Atividades educativas e culturais

O museu realiza atividades educativas e culturais para públicos específicos? s

Em caso positivo, especifique: escolha a(s) que mais se adeque(m)

Esfera: Pública

Tipo de Esfera: Estadual

Títulos e Certificados: UPE

Ano de abertura: 1876

Instrumento de criação:

Descrição:

Instituição mantenedora: Secretaria de Estado da Cultura do Paraná

Tipo: Tradicional/Clássico

O museu é de caráter comunitário? não

Temática: História

Para solicitar o Registro de Museus é simples. Basta seguir estes três passos:

  • 1. Preencher e assinar o Formulário de Solicitação de Registro, ao final da página.
  • 2. Fotocopiar os documentos solicitados (vide lista abaixo de acordo com a natureza administrativa da instituição).
  • 3. Reunir o Formulário devidamente preenchido e a documentação solicitada e entregar a documentação na sede do Ibram em Brasília ou enviar por correio com aviso de recebimento para o seguinte endereço:


    Instituto Brasileiro de Museus – Ibram
    Cadastro Nacional de Museus (CNM)
    Setor Bancário Norte, Quadra 02, Bloco N, 1º Subsolo
    Cep: 70040-020 – Brasília – DF

Documentação Necessária:
Museu Público Federal
  • CPF e RG (autenticados em cartório) do responsável pelo museu;
  • Documentação que comprove que o titular do RG e do CPF enviados é o responsável pelo museu, que poderá ser através de termo de posse, ato de nomeação, ou outro documento congênere;
  • CNPJ do museu ou da instituição mantenedora;
  • Instrumento de criação do museu ou outro documento oficial da instituição à qual o museu esteja subordinado/vinculado;
  • Termo de Solicitação do Registro preenchido.
Museu Público Estadual, Municipal e Distrital
  • CPF e RG (autenticados em cartório) do responsável pelo museu;
  • Documentação que comprove que o titular do RG e do CPF enviados é o responsável pelo museu, que poderá ser através de termo de posse, ato de nomeação, ou outro documento congênere;
  • CNPJ do museu ou da instituição mantenedora;
  • Instrumento de criação do museu ou outro documento oficial da instituição à qual o museu esteja subordinado/vinculado;
  • Termo de Solicitação do Registro preenchido.
Museu Privado
  • CPF e RG (autenticados em cartório) do responsável pelo museu;
  • Documentação que comprove que o titular do RG e CPF enviados é o responsável pelo museu, que poderá ser através de termo de posse, ato de nomeação, ou outro documento congênere;
  • CNPJ do museu ou da instituição mantenedora (com personalidade jurídica);
  • Instrumento de criação do museu ou outro documento oficial da instituição à qual o museu esteja subordinado/vinculado;
  • Termo de Solicitação do Registro preenchido.
ATENÇÃO!
  • As despesas de autenticação e envio deverão correr por conta do museu solicitante;
  • O museu deverá manter atualizados todos os seus dados junto ao Registro de Museus, enviando toda a documentação comprobatória de qualquer alteração das informações já fornecidas;
  • No caso de inexistência de documento oficial que declare quem é o responsável pelo museu, será admitido como comprovação documento que contenha tal informação assinado pelo representante máximo da instituição mantenedora. Nessa situação, o representante máximo da instituição mantenedora deverá enviar cópia do seu RG, do CPF (autenticados em cartório) e documento oficial que declare sua ocupação neste cargo;
  • Museus que possuem filiais ou seccionais em endereços de visitação diferentes deverão responder um questionário para cada unidade.

Publicado por

Sociedade de Amigos do Museu Paranaense

A Sociedade de Amigos do Museu Paranaense (SAMP) é uma entidade sem fins lucrativos criada no ano de 2003, e sua missão é auxiliar o Museu Paranaense - MP, em suas ações de manutenção e preservação do acervo, desenvolvimento de atividades, bem como nas ações de pesquisa e na divulgação de suas atividades de forma geral.