MASP - Museu de Arte de Sâo Paulo Assis Chateaubriand

Código: 5.20.48.5530

Nº SNIIC: ES-201205

O MASP, Museu diverso, inclusivo e plural, tem a missão de estabelecer, de maneira crítica e criativa, diálogos entre passado e presente, culturas e territórios, a partir das artes visuais. Para tanto, deve ampliar, preservar, pesquisar e difundir seu acervo, bem como promover o encontro entre públicos e arte por meio de experiências transformadoras e acolhedoras.

Site: http://www.masp.org.br

Email para divulgação: atendimento@masp.org.br

Telefone para divulgação: (11) 3149-5959

Endereço: Avenida Paulista, 1578, Centro, Bela Vista, 01310-200, São Paulo, SP

CEP: 01310-200

Logradouro: Avenida Paulista

Número: 1578

Complemento: Centro

Bairro: Bela Vista

Município: São Paulo

Estado: SP

Território Cultural (para utilização do Sistema de Museus):

Descrição

O Museu de Arte de São Paulo é um museu privado sem fins lucrativos, fundado em 1947 pelo empresário e mecenas Assis Chateaubriand (1892-1968), tornando-se o primeiro museu moderno no país. Chateaubriand convidou o crítico e marchand italiano Pietro Maria Bardi (1900-1999) para dirigir o MASP, e Lina Bo Bardi (1914-1992) para desenvolver o projeto arquitetônico e expográfico. Mais importante acervo de arte europeia do Hemisfério Sul, hoje a coleção do MASP reúne mais de 10 mil obras, incluindo pinturas, esculturas, objetos, fotografias, vídeos e vestuário de diversos períodos, abrangendo a produção europeia, africana, asiática e das Américas.

Primeiramente instalado na rua 7 de Abril, no centro da cidade, em 1968 o museu foi transferido para a atual sede na avenida Paulista, icônico projeto de Lina Bo Bardi, que se tornou um marco na história da arquitetura do século 20. Com base no uso do vidro e do concreto, Lina Bo Bardi concilia em sua arquitetura as superfícies ásperas e sem acabamentos com leveza, transparência e suspensão. A esplanada sob o edifício, conhecida como “vão livre”, foi pensada como uma praça para uso da população.

A radicalidade da arquiteta também se faz presente nos cavaletes de cristal, criados para expor a coleção no segundo andar do edifício. Ao retirar as obras das paredes, os cavaletes questionam o tradicional modelo de museu europeu, no qual o espectador é levado a seguir uma narrativa linear sugerida pela ordem e disposição das obras nas salas. No espaço amplo da pinacoteca do MASP, a expografia suspensa e transparente permite ao público um convívio mais próximo com o acervo uma vez que ele pode escolher o seu percurso entre as obras, contorná-las e visualizar o seu verso.

Além da mostra de longa duração de seu Acervo em transformação na pinacoteca do museu, realiza-se ao longo do ano uma ampla programação de exposições coletivas e individuais que se articulam em torno de eixos temáticos: as histórias da sexualidade (2017), as histórias afroatlânticas (2018), as histórias feministas/histórias das mulheres (2019). É importante levar em consideração o termo plural “histórias” que aponta para histórias múltiplas, diversas e polifônicas, histórias abertas, inconstantes e em processo, histórias em fragmentos e em camadas, histórias não totalizantes nem definitivas. “Histórias”, em português, afinal, abarca tanto a ficção quanto a não ficção, as narrativas pessoais e políticas, privadas e públicas, micro e macro.

Toda essa aproximação reflete a nova missão do museu, estabelecida em 2017: “O MASP, museu diverso, inclusivo e plural, tem a missão de estabelecer, de maneira crítica e criativa, diálogos entre passado e presente, culturas e territórios, a partir das artes visuais. Para tanto, deve ampliar, preservar, pesquisar e difundir seu acervo, bem como promover o encontro entre públicos e arte por meio de experiências transformadoras e acolhedoras”.

O calendário de exposições é complementado pelos programas públicos desenvolvidos pelo núcleo de mediação e inclui seminários internacionais, palestras realizadas mensalmente no primeiro sábado de cada mês, o programa MASP professores, oficinas, cursos no MASP escola e programação de filmes e vídeos. Para ampliar e perenizar a discussão em torno de toda essa programação, o museu edita uma série de publicações incluindo catálogos das exposições, dos acervos, e antologias dos seminários e palestras, bem como de projetos especiais como restauros de obras.
evento entre e Baixar Planilha

O Museu encontra-se: aberto

Horário de funcionamento: Segunda - fechado Terça - 10h-18h Quarta - 10h-18h Quinta - 10h-20h Sexta - 10h-18h Sábado - 10h-18h Domingo - 10h-18h

Entrada

Entrada é cobrada: sim

Descrição do valor da entrada: R$30,00
R$15,00: estudantes/professor e maiores de 60 anos.
Gratuidade: crianças até 10 anos.
Entrada gratuita às terças-feiras.

Acessibilidade

Acessibilidade física:

Acessibilidade para pessoas com deficiências auditivas e visuais:

Atendimento aos turistas estrangeiros:

Instalações

Instalações básicas e serviços oferecidos:

Capacidade do teatro/auditório (assentos): 374

O museu possui arquivo histórico? sim

O arquivo tem acesso ao público? sim

O Museu possui biblioteca? sim

A biblioteca tem acesso ao público? sim

O museu promove visitas guiadas? sim

Em caso positivo, especifique: Sem necessidade de agendamento

Atividades educativas e culturais

O museu realiza atividades educativas e culturais para públicos específicos? s

Em caso positivo, especifique: escolha a(s) que mais se adeque(m)

Esfera: Privada

Tipo de Esfera: Associação

Ano de abertura: 1947

Instrumento de criação:

Descrição: Nº 635-A, de 10/03/1947 somente para instrumento do tipo "Outros"

Tipo: Tradicional/Clássico

O museu é de caráter comunitário? não

Temática: Artes, arquitetura e linguística

Publicado por

Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriant

O Museu de Arte de São Paulo é um museu privado sem fins lucrativos, fundado pelo empresário brasileiro Assis Chateaubriand, em 1947, tornando-se o primeiro museu moderno no país.